Discurso do Dia Mundial da Água

O Sr.STEFANO AGUIAR(PSD-MG) pronuncia o seguinte discurso:

Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, venho a esta tribuna manifestar-me sobre um recurso natural fundamental para a vida: a água. Todos os anos, no dia 22 de março, é celebrado o Dia Mundial da Água, data escolhida para que todos façamos uma necessária reflexão sobre o uso e a proteção desse bem mundial.

O Brasil, Senhoras e Senhores Deputados, é o País que detém as maiores reservas de água doce do mundo. Contudo, infelizmente, estamos muito aquém do que deveríamos estar em termos de preservação e de uso sustentável desse recurso natural imprescindível à vida na Terra.

Em função da nossa falta de políticas públicas adequadas e de conscientização popular sobre o uso responsável, vemos a água no Brasil se escassear cada vez mais ano a ano. Rios poluídos, nascentes contaminadas, desmatamento desenfreado, todos esses crimes ambientais são o retrato da irresponsabilidade brasileira para com seus recursos hídricos.

A defesa do meio ambiente e, em especial, do uso sustentável da água é uma bandeira que sempre defendi ao longo de toda a minha atuação na Câmara dos Deputados.

Desde que cheguei a esta Casa do Povo para meu primeiro mandato, há oito anos, fiz questão de ser membro titular da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Naquela Comissão, sempre defendi e fomentei projetos proteção do meio ambiente brasileiro focados na questão da água.

Mas a minha luta pelos recursos naturais do Brasil se estende muito além dos limites do corredor das Comissões da Câmara. Acredito que um Parlamentar precisa ir aonde o povo está, ver o que está acontecendo e ouvir da população quais são os problemas que precisam ser resolvidos.

Foi com essa convicção em mente que, ainda em janeiro deste ano, fui a Brumadinho, Minas Gerais. Estive lá poucos dias após o rompimento da barragem e pude constatar pessoalmente a magnitude daquele desastre criminoso e irresponsável. Uma tragédia que levou a vida de mais de trezentas pessoas e que também causou tremendos prejuízos socioambientais.

Assim como aconteceu com o Rio Doce, após o desastre de Mariana, vi com tristeza que, após o rompimento da barragem em Brumadinho, o Rio Paraopeba também está morto, vítima de mais um crime ambiental hediondo.

Podem ser necessários mais de cem anos para que os Rios Doce e Paraopeba voltem a ter vida e estejam livres da contaminação por metais pesados. Enquanto isso, as populações por onde esses rios passam sofrem com doenças, com prejuízos e com o abandono do Poder Público.

Quantos rios mais precisarão morrer para que este Parlamento tome uma atitude definitiva em relação às nossas águas?

Senhoras e Senhores Deputados, esses absurdos não podem continuar se repetindo, ceifando vidas e destruindo os nossos rios. É preciso que todo o Congresso se empenhe para evitar que mais tragédias como essas ocorram.

Firme nesse propósito, aproveito o ensejo da chegada de mais um Dia Mundial da Água para convocar os nobres colegas Deputados a se juntarem a mim nesta eterna luta em favor da preservação do meio ambiente brasileiro, especialmente do nosso recurso natural mais precioso: as nossas águas.

Senhor Presidente, solicito a Vossa Excelência que meu pronunciamento seja divulgado pelos órgãos de divulgação da Casa Legislativa e no Programa À Voz do Brasil.